Tag: EUA

09 de novembro 0

Mesmo com Trump eleito, política de vistos para os EUA continua a mesma (por enquanto)

Após a eleição do republicano Donald Trump nesta quarta-feira (9), o medo de que o novo presidente dos EUA possa alterar radicalmente a direção do governo americano aumentou. Nas redes sociais, muito brasileiros já estão se perguntando se haverá mudanças nas regras para a entrada de visitantes no vizinho do norte.

Entretanto, apesar de toda a estridência vocalizada contra latinos e imigrantes durante a campanha de Trump, tudo continua como está — pelo menos por enquanto. Isso ocorre, em primeiro lugar, porque o republicano só tomará posse no dia 20 de janeiro de 2017.

Somente a partir dessa data, o governo conservador entrará em vigor, e poderá então fazer qualquer mudança nas políticas em relação à entrada e saída de imigrantes do país.

Além disso, nos EUA, apesar do grande poder executivo do presidente, os demais poderes — legislativo e judiciário — exercem um forte contrapeso nas decisões do Estado. Neste caso, se a Câmara, o Senado ou a Suprema Corte não estiverem de acordo com as medidas do executivo, não há mudança real.

Outro fator importante a ser levado em conta em relação à diplomacia internacional e o gerenciamento de vistos para os EUA é que tais temas são, predominantemente, parte da política do Estado e não do governo. Ou seja: são bem mais difíceis de serem alterados.

Por isso, quem já tem visto o visto americano não deve se preocupar. E quem está querendo viajar para os EUA e ainda não tem visto deve seguir as recomendações atualmente exigidas pelo país.

 

Boa notícia:

O governo americano, por meio do Departamento de Segurança Nacional, anunciou recentemente que dois aeroportos brasileiros (Galeão e Guarulhos) foram escolhidos para fazerem parte de um programa que facilitará a entrada de cidadãos do Brasil nos EUA.

Deste modo, aqueles que tiverem os EUA como destino poderão se submeter à imigração, à alfândega e à inspeção do Departamento de Agricultura no próprio território brasileiro.

Tal medida deve diminuir as filas nas alfândegas dos aeroportos americanos.

 

 

Fonte: noticias.r7.com
Foto: Reuters

Deixe seu Depoimento
29 de agosto 0

Free shop de Guarulhos terá iPhone mais barato que nos EUA

A partir de domingo, quem embarcar em voos internacionais em Guarulhos poderá comprar um iPhone sem imposto, em real, parcelado no cartão de crédito.

O modelo 5S 16 GB desbloqueado custa em torno de R$ 2.799 no Brasil e sairá por R$ 1.492,70 (US$ 649) na nova loja da Fnac no T3 (Terminal 3) de Guarulhos, que será inaugurado no fim de semana.

A Fnac GRU fica na chamada área restrita do embarque, após a inspeção de passaportes. Trata-se de uma zona livre de impostos (free shop).

Por bem menos do que a diferença de R$ 1.306,30 dos impostos do iPhone, é possível voar para Buenos Aires (cerca de R$ 750, ida e volta).

A loja vai aceitar real, dólar e euro. O preço em real vai variar conforme o câmbio do dia. É possível parcelar em três vezes no cartão. Ou em até cinco no cartão Fnac.

Além de não pagar IOF (se a transação no cartão for em real), a compra no Brasil será mais barata que nos EUA, por exemplo, pois lá incide imposto sobre venda (“sales tax”) na maioria dos Estados.

Mesmo quem estiver embarcando em um dos terminais antigos poderá acessar a Fnac e as demais lojas e restaurantes do T3. A circulação entre os terminais se fará a pé, e haverá esteiras rolantes.

Entre as dezenas de lojas da área restrita isentas de impostos do novo T3 estão Victoria’s Secret, Salvatore Ferragamo e GAP.

Os bens adquiridos nos free shops de partida recebem da Receita Federal o mesmo tratamento que bens adquiridos durante a viagem ao exterior (limite de US$ 500, com isenção para produtos de uso pessoal, como roupas usadas, um celular, um relógio e uma máquina fotográfica). Não entram, no entanto, na conta dos US$ 500 que o viajante tem direito a gastar nos free shops de chegada.

Os eletrônicos à venda na Fnac GRU serão importados e não atendem necessariamente às especificidades da Anatel. A empresa diz que os vendedores foram treinados para orientar sobre diferenças de tomadas e garantias.

 

 

Fonte: 1.folha.uol.com.br
Foto: Stephen Lam/Reuters

 

Deixe seu Depoimento
Página 1 de 712345...Última »