26 de novembro 0

10 coisas que você provavelmente não sabe sobre Las Vegas

A maior parte da população acima de 18 anos já ouviu falar em Las Vegas, esta cidade tão conhecida por seus cassinos e festas. Muitos já sabem que a cidade é repleta de luzes de neon, vida noturna agitada, shows, mulheres e etc., por isso ao invés de repetir o que já é de conhecimento de todos, listaremos abaixo 10 curiosidades sobre esta que antes era conhecida como a ‘cidade do pecado’ e agora elevou seu título à ‘capital mundial do entretenimento’.

 

1 – O nome Las Vegas significa “As Campinas” em português:

Mas nos EUA é muito mais comum as pessoas se referirem à cidade simplesmente como Vegas.

 

 

2. Las Vegas é a cidade mais iluminada do planeta:

Segundo a NASA, vista do espaço Las Vegas é a cidade da luz. Esta informação surpreende muitas pessoas que, por exemplo, consideram a Times Square, em Nova York, mais iluminada que a Strip. Vale lembrar também que o maior holofote do mundo está em Vegas, no topo da pirâmide do Luxor, e pode ser visto do espaço.

 

 

3. Dos 20 maiores hotéis do mundo, 17 encontram-se em Las Vegas:

Não é exagero. Dos maiores hotéis existentes em todo o mundo, a maioria está localizada em Las Vegas. Sim, os hotéis em Las Vegas são monstruosos e ostentadores. Outra curiosidade é que dentro destes hotéis encontram-se os cassinos, que não possuem janelas, relógios ou nenhum outro indicativo de horário. Essa é uma estratégia para que os jogadores percam a noção do tempo e continuem gastando dinheiro.

 

 

4. Mesmo com tantas propagandas e santinhos de garotas de programa, a prostituição é ilegal na cidade:

Não estou querendo tampar o sol com a peneira e dizer que sexo pago é algo totalmente inexistente na cidade, mas o fato é que realmente a prostituição é crime e, quando descoberta, leva muitos turistas para passearem em locais que não estavam no cronograma.

 

 

5. O valor médio gasto pelos visitantes nas apostas dos cassinos é cerca de 560 dólares:

Os brasileiros quase não gastam nos cassinos, pois a maioria guarda seu dinheiro para gastá-los nas lojas dos outlets (por isso nós somos tão queridos pelos comerciantes daqui). Mas este é um valor médio… há quem gaste apenas um dólar numa máquina de caça níquel, mas há aqueles que gastam milhões – sim, eu disse milhões! – em uma única jogada.

 

 

6. O maior prêmio pago nas máquinas de caça-níquel foi cerca de 40 milhões de dólares:

Basta apostar alguns centavos e pronto, sua sorte pode mudar completamente. Mas a verdade é que quanto maior é a aposta, maior é a chance do prêmio sair. E foi assim que aconteceu com um jovem de 25 anos em 2013.  Ele já havia apostado quase 100 dólares em uma máquina caça-níquel quando a sorte o presenteou com nada menos que 40 milhões de dólares no hotel Excalibur. Esse sim foi um grande sortudo!

 

 

7. Seguindo as leis do estado, se alguém atirar no seu cachorro dentro das suas propriedades, você legalmente tem direito de enforcar quem atirou:

Estranha é pouco… esta lei é mais que bizarra! Confesso que tive que buscar referências de que realmente esta lei absurda existe em pleno século 21. Mas moral da história: nunca, jamais perca a paciência e atire em um cachorro. Por outro lado, nunca tente enforcar alguém que tem uma arma nas mãos!

 

 

8. A parte mais conhecida de Las Vegas não está localizada propriamente em Las Vegas:

A famosa Las Vegas Boulevard é na verdade uma avenida muito extensa. Mas a parte que dá fama a essa avenida, parte essa que é popularmente chamada de Strip, possui apenas um pedaço que pertence mesmo a Las Vegas. Quem vem para a Strip e utiliza um smartphone com localizador percebe que ao invés de Vegas, a pessoa está em Paradise, Nevada. Mas não pense que Paradise (ou Paraíso, em português) é apenas mais um apelido para mudar a imagem da ‘cidade do pecado’. Paradise é uma cidade real, pertencente ao condado de Clark (ou Clark County) e que abriga a maior parte das novas atrações de Las Vegas. Na verdade os principais cassinos encontram-se divididos entre Paradise e Winchester, mas também há alguns em Henderson e North Las Vegas.

 

 

9. Fora do Havaí, Las Vegas é o local que possui o maior número de havaianos:

A localização geográfica pode até favorecer, mas a razão não é apenas esta. Segundo Juliana Selem, que escreve para o Abroadee, em viagem para o Havaí ela soube que os havaianos adoravam passar as férias em Las Vegas, pois viam-se atraídos por um estilo de vida quase oposto ao deles. Bom, pelo que parece muitos havaianos vieram de férias e simplesmente desistiram de ir embora!

 

 

10. Para crescimento e modernização da Strip, ocorreram 14 implosões desde 1993:

Quem veio em Las Vegas há 15 anos pode desconsiderar a vinda na cidade, que está em constante transformação. Os hotéis mais antigos cedem seus lugares a hotéis mais modernos ou a grandes centros comerciais e de entretenimento. Foram 14 implosões desde 1993 e já existem planos para mais implosões nos próximos anos.

No vídeo abaixo é possível ver a implosão do hotel New Frontier em 2007. “Os criadores do vídeo captaram bem a sensação de excitação em relação às construções modernas e grandiosas que estão por vir e, ao mesmo tempo, a sensação de tristeza relacionada à demolição de um hotel tão clássico―local da primeira apresentação do Elvis Presley em Vegas em 1956. Você vai perceber que até as implosões são transformadas em magníficos shows nessa cidade!”

 

 

Fonte: vegasbrazil.com

Deixe seu Depoimento
25 de novembro 0

5 LUGARES FORA DOS ROTEIROS TURÍSTICOS TRADICIONAIS PARA VISITAR EM PORTUGAL

Outrora país de grandes ambições e poder, controlando boa parte das rotas comerciais para os continentes africano, americano e asiático, Portugal é hoje um cantinho da Europa que mantém na discrição, patrimônio e simpatia da população alguns dos principais atrativos. O clima mediterrânio e a gastronomia rica e variada completam, literalmente, o cardápio.

Apesar de ser uma das economias mais fracas da União Europeia e de nos últimos anos atravessar grandes dificuldades financeiras, Portugal nunca deixou de atrair turistas de todo o mundo, também seduzidos pelos preços baixos, quando comparados com os restantes países da União.

Desde a vibe descontraída de Lisboa, repleta de monumentos alusivos aos tempos áureos do país, até à beleza majestosa de Sintra, aos vinhos do Porto, à movida universitária de Coimbra, aos canais de Aveiro, às colinas verdejantes que terminam em cidades medievais como Óbidos, às praias do Algarve ou às paisagens das ilhas deitadas sobre o Atlântico (nos arquipélagos da Madeira e dos Açores), já se conhece vários dos motivos que podem te levar ao país mais ocidental da Europa.

Aqui apresentamos mais 5, dos quais talvez você nunca tenha ouvido falar, mas que merecem, definitivamente, uma visita. Confira:

 

1. Portas de Ródão:
Classificada desde 2005 como Monumento Natural, esta é, de fato, uma das mais majestosas construções da natureza em terras lusitanas e um dos pontos altos do Rio Tejo. A formação geológica foi criada por uma falha tectónica e pela erosão das águas do Rio junto do relevo rochoso da Serra das Talhadas, fraturando-a e abrindo um caminho de 45 metros de largura, onde o Rio hoje continua seu curso natural.

A biodiversidade é uma das riquezas das Portas de Ródão, atraindo bird watchers e abrigando algumas espécies raras e em vias de extinção. Também por isso, vale a pena se entregar a um dos barcos que operam passeios turísticos ao longo do Rio, parar na ponte que o atravessa ou pegar o trem da linha da Beira Baixa.

 

 

2. Azenhas do mar:
Não muito distante de Lisboa, a cerca de 40km, e mais próxima ainda do centro histórico de Sintra, fica esta simpática aldeia em forma de berço, entalada num rochedo e com a maioria das casas pintadas de branco. Se a arquitetura é acolhedora, a água nem tanto (bem fria para os padrões da maioria das águas brasileiras), mas a piscina oceânica construída numa pequena baía promete compensar.

 

 

3. Praia Fluvial da Mina de S. Domingos:
A sugestão vai para aqueles que preferem a tranquilidade do campo, mas que mesmo assim não abdicam da praia no verão. Localizada no coração do Alentejo, no concelho de Mértola, esta praia não tem água salgada, mas tem areia e água morna, em um refrescante contraste com a paisagem seca desta região do país.

Desde 2012 considerada Praia de Qualidade de Ouro, o lugar oferece todas as condições de segurança e acessibilidade, além de estar equipada com espaços de lazer, como um parque com grelha para os churrasqueiros de plantão, ou um anfiteatro, palco de espetáculos e sessões de cinema ao ar livre quando se recolhem as toalhas e o dia dá lugar à noite.

 

 

4. Praia da Arrifana:
Fica no Algarve, é verdade, na zona oeste, em Aljezur, mas, se você quiser aproveitar os quase mil quilômetros de costa que Portugal continental tem para oferecer durante o verão europeu – tarefa obrigatória -, este é um dos lugares onde ainda é possível manter uma relação a dois com o seu espaço de areia, sem ninguém interferindo. Muitas outras praias algarvias ficam, entre junho e setembro, lotadas, o que só mostra que Portugal tem conseguido aproveitar o potencial turístico que a natureza lhe ofereceu.

A Praia da Arrifana faz parte do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, que abrange mais de 100 quilômetros e onde a paisagem natural cruza praias e pequenas ilhas, como a do Pessegueiro, com falésias (algumas exigem precaução, pelo risco de queda), em um panorama muito próprio.

Escolhemos a Praia da Arrifana, que se tornou uma espécie de “Meca” dos surfistas – ainda atrás de outras, como a de Peniche -, mas a oferta de areia fina, banhos de mar e habitats naturais é tanta que podíamos falar também na Praia do Amado, Porto Covo, Odeceixe, Carrapateira, Vale dos Homens ou Galé sabendo que não desiludiríamos ninguém. A verdade é que as praias da costa alentejana têm ganhado fãs entre os portugueses e, mesmo com uma curta estada, você não demorará a entender porquê.

 

 

5. Piódão:
Da praia passamos para a paisagem pitoresca da aldeia de Piódão, na região centro do país. Piódão faz parte das “Aldeias Históricas de Portugal”, um conjunto de aldeias e vilarejos que foram restaurados e se encontram protegidos, devido à sua importância histórica. Não sendo propriamente desconhecida entre os portugueses, é muitas vezes deixada de fora pelos visitantes, que acabam se rendendo mais facilmente aos longos areais do Algarve.

As paredes de xisto e as portas e janelas pintadas de azul caracterizam a aldeia, que nos períodos festivos, como Páscoa e Natal, vê regressarem muitos dos jovens que foram obrigados a deixar a terra em busca de melhores condições de vida. A população que por aqui ficou vive essencialmente da agricultura e faz as delícias dos visitantes, já que alia a hospitalidade a uma forma de vida que mantém tradições com séculos de história.

Piódão impressiona pela longevidade, com casas que parecem estar no mesmo ponto em que estavam quando foram construídas, com as ruas apertadas e o chão de pedra a nos transportar para um tempo que não é o nosso.

 

Autor: João Correia
Fonte: nomadesdigitais.com

Deixe seu Depoimento
Página 20 de 153« Primeira...10...1819202122...304050...Última »