04 de outubro 0

Inaugurado aeroporto em formato de pássaro

Não seria tão lógico imaginar que o Turcomenistão apresentaria ao mundo um terminal aeroportuário com design tão moderno e elegante quanto os mais avançados aeroportos da atualidade. Mas indo contra o senso comum, o país centro-asiático de pouco mais de 5 milhões de habitantes trouxe à tona seu novo complexo, com capacidade para nada menos do que 17 milhões de passageiros ao ano. E com um design singular!

A arquitetura do novo terminal de cinco andares, localizado na capital Ashgabat, custou $ 2.3 bilhões de dólares e apresenta a forma de um expressivo falcão voando diretamente sobre os usuários que chegam ao local. Não por coincidência, o falcão é o símbolo da Turkmenistan Airways, a empresa aérea de bandeira do país.

Além da alta capacidade de processamento de passageiros, o novo aeroporto também pode lidar com a movimentação de 200 mil toneladas de carga ao ano. Mas há um pequeno problema com toda essa novidade. Em 2015 o Turcomenistão recebeu singelos 105.000 turistas segundo dados da agência de turismo local. Isso porque a obtenção de visto para ingressar no país é bastante rígida. Se o visitante for permanecer no país por mais de 5 dias, precisará de uma autorização turística oficial e de guias oficias acompanhando-o.

E qual a explicação para tal suntuosidade de investimentos? Segundo Gurbanguly Berdymukhamedov, presidente do Turcomenistão, seu país tem um sólido “potencial de trânsito de passageiros”. Haja potencial, não é mesmo?!

Veja mais fotos internas e externas do aeroporto:

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: aeroin.net

Deixe seu Depoimento
03 de outubro 0

As coisas que você pode (e as que não pode) “surrupiar” de um quarto de hotel

Ao que tudo indica, nada mais eficiente do que quatro paredes de um quarto de hotel para despertar o cleptomaníaco que existe dentro de (alguns de) nós. Segundo uma pesquisa publicada em reportagem do jornal britânico The Telegraph, a variedade de objetos roubados é bastante mais vasta do que o bom senso faz supor.

Toalhas e roupões estão entre os clássicos da mão leve hoteleira, como todo mundo sabe. Mas o povo vai além: cortinas, lâmpadas e até a bíblia de cabeceira estão entre os 10 itens mais surrupiados.

É bastante óbvio que cortinas e lâmpadas não estão entre os objetos que o hóspede pode levar para casa como suvenir. Mas, verdade seja dita, há uma lista coisinhas que podem dar margem a diferentes interpretações (e transformar um cidadão honesto em ladrão sem que ele se dê conta disso).

Um bom jeito de escapar de gafes é seguir duas regras essenciais. Primeira: tudo o que for reutilizável pertence ao hotel. Segunda: na dúvida, não leve. Continua na dúvida? Eu ajudo:

 

Livros:

Muitos hotéis incrementam o quarto com livros de design e de fotos da cidade em questão. A menos que eles não venham com uma cartinha explicando que aquilo é um presentinho para você, controle-se. Muitos livros são marcados com um carimbo ou uma etiqueta com o nome do hotel. Esses são sinais bem claros que não se trata de um brinde.

 

Revistas:

Apenas as revistas de circulação gratuita (em geral para promover um destino) podem fazer o check-out junto com você. Em geral, é fácil identificá-las pelo estilo e pela quantidade de publicidade.

 

Shampoos e creminhos:

Se eles estiverem em potinhos pequenos e de plástico, mande ver! Mas quando o hotel opta por oferecer as amenities em potes grandes encaixados em suportes, ou recipientes de vidro/porcelana, é uma mensagem clara para que você faça bom proveito somente enquanto estiver hospedado. Em tempo: se você precisar de uma chave de fenda para desencaixar o shampoo de algum lugar, isso significa que o plano é que ele continuasse ali.

 

Canetas:

Canetinhas vagabundas com o nome do hotel podem e devem ser levadas como suvenir. Elas fazem parte do material promocional, assim como os postais, envelopes e papéis de carta. Se houver uma caneta mais incrementada no quarto, presa a uma cordinha, deixe-a para o próximo.

 

Miniaturas do frigobar:

Você pode levar tudo o que está no frigobar, se quiser. Mas isso será cobrado no seu cartão de crédito posteriormente.

 

Chás, cafés, saquinhos de açúcar:

Isso estava no quarto para que você consumisse. Então, pode levar. Mas há um limite. Alguns hotéis oferecem belas e fartas caixas de chás. Levar tudo embora é falta de educação, ainda que você não seja cobrado por isso.

 

Pantufinhas:

Se elas forem do tipo descartável, são suas. Se não forem, mude de hotel.

 

Coisas que você definitivamente não pode levar para casa:

Cinzeiros, luminárias, xícaras, copos de vidro, talheres, toalhas, roupões, cabides, porta-retratos, enfeites, vasos, lençóis, colchas, mantas, bíblia (!!!), rádio-relógio, adaptadores de tomada, secador de cabelos, chaleira etc.

 

 

 

Fonte: viajeaqui.abril.com.br
Foto: PortoBay Hotels & Resorts/creative commons

Deixe seu Depoimento
Página 20 de 240« Primeira...10...1819202122...304050...Última »